quarta-feira, Dezembro 22, 2004

NO CALOR DO TEU BEIJO ACORDEI

No calor do teu beijo acordei

Com as lágrimas da manhã em alento.

Por estares ausente eu ABRACEI

A fragrância dos lençóis num lamento.

Nesse amplexo, num suspiro romanciei

A água com o fogo, o luar com o vento...

Traz-me violinos brancos para eu sonhar

O sorriso que brota da melodia do teu olhar.

Do queimor da brisa senti gotas de ternura

Pela leveza do peito tentado à paixão.

E no horizonte rutilante da aventura

O silêncio de palavras doces cabe-me nas mãos.

Esse anelo errante é loucura!

Mas meu sonho insiste em navegar nessa sensação...

Num instante de açucenas e resplendor convincente,

Levantei-me e percebi-te, meu pecado imanente.

Ana Ramos


quinta-feira, Dezembro 16, 2004

NASCE UMA LUZ

Nasce uma luz
Ainda meio adormecida
Luz bela e encadeante
Fonte de toda a vida
Como é bela esta luz
À qual alguém chamou Sol
Luz quente e acolhedora
Fonte da vida e da morte
Triste e doloroso
É acordar sem ti
Sem teus raios na minha alma
Sem teu brilho na minha vida.

Nuno Serrano

P.S: A tua ausência é cada vez mais dificil de suportar, preciso de ti ao meu lado para viver.
@QUERO-TE PARA SEMPRE@

segunda-feira, Dezembro 06, 2004

NAQUELE DIA EM QUE TE VI

Naquele dia em que te vi
Senti dentro de mim
Algo muito especial
Como se entrasses em mim
Dentro do meu corpo.

Senti que eras tu
A pessoa que procuro
Foi como se sempre
Eu tivesse te esperado.

Como é bom sentir-te perto
Sentir a tua tímida respiração
A denunciar o que não dizes
E teimas em esconder do coração.

Deixa respirar o teu amor
Deixa sair o que tu sentes
Pois podes enganar-me
Mas não enganas meu coração.

O destino está marcado
Ninguém o pode mudar
Pois se nós nos amamos
Para quê tentar evitar.

Nuno Serrano

quinta-feira, Dezembro 02, 2004

Não vale a pena

Não vale a pena,
Esta minha mania de te amar,
Tu a fingires que não vês,
O meu sofrimento,
E eu a tentar disfarçar a minha dor.
Não vale a pena,
Não existe mais amor nesta cena,
Não existe mais clima neste luar,
Não sou quem tu queres amar.
Meu amor é sincero,
Perdeu-se para sempre,
Na solidão do teu amor,
E o estranho é que acredito em ti,
Desde a primeira vez que te vi.
Meu amor é tão sincero,
Que tem até agora durado,
Mas vai desaparecendo,
Na esperança de te encontrar.
O meu pequeno coração,
Tem vindo a sofrer calado,
Apenas por te amar em vão,
E só isso ele sabe fazer.
Meu pequeno coração,
Procura alguma razão,
Para tu nele não entrares,
Como é grande a sua angustia.

Nuno Serrano

Este poema não significa que eu esteja assim, pelo contrário estou bem feliz com a mulher da minha vida.
@AMO-TE TANTO CÁTIA@

quinta-feira, Novembro 04, 2004

NÃO EXISTEM PALAVRAS...

Podia estudar - e saber -
Todas as línguas, palavras
Podia aprender - e ler -
Todos os livros do mundo;
Mesmo assim...
De nada serviria,
Porque nenhuma palavra
Te descreveria...
Podia escrever
Textos e textos
Poemas e poemas...
Para quê?
Continuarias sem perceber
O quanto tu és linda para mim,
O quanto me invades
O quanto me fazes voar...
Nem com linhas infinitas
Nem com versos, estrofes perfeitas, escritas
Te posso mostrar o que és para mim...
Como descrever a perfeição?
Como descrever o que sente o coração?
Basta fechares os olhos...
Sorri e deixa-me dar-te a minha mão,
Deixa-me mostrar-te que és a rainha do meu coração!

David Serrano Sobral